Hipertireoidismo e Gravidez

Para as nossas leitoras que pretendem engravidar esse artigo pode ser um tanto desalentador já que aponta para as complicações possíveis. Se elas forem como eu, ávidas por informação e preparadas para conhecer todas as complicações como forma de poder ser ativa na prevenção delas, boa leitura. Se não, podem parar na introdução e saber que com hipertireoidismo controlado é possivel engravidar e levar a gravidez a termo sem complicações, desde que o eutireoidismo clínico tenha sido alcançado com a menor dose possível da droga anti-tireoidiana e que esteja sob controle laboratorial frequente. Se o hipertireoidismo for causado pela doença de graves, é bastante provável que ele melhore bastante no decorrer da gravidez (piorando depois do nascimento da criança), aumentando ainda mais as chances da mesma ser bem sucedida, desde que tudo isso seja acompanhado de perto pelo seu endocrinologista assim como pelo seu obstetra. Ou seja, nada pra se desesperar!

Mas se você continuou lendo, há alguns fatores a serem considerados.

O primeiro deles é que em casos de hipertireoidismo (ou hipotireoidismo também) severo, não diagnosticado ou não tratado, é muito difícil engravidar. As doenças da tireóide tem em comum a alta taxa de infertilidade temporária e os abortos espontâneos no comecinho da gravidez. Se você está tentando engravidar sem sucesso, não custa solicitar ao seu médico que faça os exames de TSH e T4 livre para excluir a tireóide desequilibrada como causa. Mas vamos supor que você já esteja grávida.

Toda mulher que deseja ter um filho sonha com a sua gravidez, e nesse sonho é tudo perfeito. 9 meses de alegria e contemplação que desembocam em um parto natural e indolor (cof cof) e em um filho perfeito, saudável e feliz. Mas a gente acorda. Gravidez é um dos eventos mais naturais que existem, e ainda assim, e talvez por isso, é algo selvagem. E muitas vezes as coisas não correm exatamente como a gente pretendia. Tive 3 filhos e 3 histórias gestacionais totalmente diferentes. Todas bem sucedidas, mas os contra-tempos foram vários. Um filho “espirrado” com um pós-natal complicado, um parto difícil (com suspeita de sofrimento fetal e que quase foi cesariana e que acabou sendo normal mas comigo anestesiada do pescoço pra baixo: tenta fazer força assim, só tenta!) e uma gravidez de risco (perigo de pré-eclampsia combatida com semi-sedação no último mês). No fim tudo deu certo, mas entre o sonho e a realidade muita coisa aconteceu. E a minha tireóide funcionava, na época, muito bem, obrigada.

Problemas na tireóide (quaisquer problema na tireóide!) constituem quadro de gravidez de risco. Isso significa que é um perigo absurdo e é melhor nem pensar no assunto? De jeito nenhum. Em uma mulher dita saudável, nada impede que uma série de fatores desemboquem em uma gravidez de risco. Risco é um fator da vida. Risco é o que corremos todos os dias ao levantar e ir na esquina comprar o pão. Viver é assumir riscos.

Entretanto, uma vez que sua história de gravidez já começa pelo risco, é preciso que o acompanhamento médico seja multiplicado exponencialmente pelo tamanho do risco envolvido, que a sua responsabilidade seja compatível com o seu desejo de ter um filho, e que sua atenção esteja redobrada para sintomas e complicações.

“O hipertireoidismo complica cerca de 0,1 a 0,4% das gestações, com a maioria dos casos sendo devidos à doença de Graves (DG). Outras causas, próprias da gestação, tais como a doença trofoblástica gestacional e tireotoxicose gestacional transitória, podem também levar ao excesso de hormônios tireóideos circulantes. Dependendo da etiologia da tireotoxicose, esta pode variar de branda e transitória a grave e duradoura. A DG, por exemplo,apesar de levar a uma tireotoxicose mais intensa, pode melhorar progressivamente ao longo da gestação, devido a uma maior tolerância imunológica.”

Note que há uma série de quadros que “criam” o hipertireoidismo durante a gestação, e que portanto, em teoria, caso os sintomas passem desapercebidos, são mais graves do que, por exemplo, uma DG diagnósticada e em eutireoidismo medicamentoso (controlada, embora ainda dependente da medicação) que, inclusive, tende a regredir durante o curso da gestação.

“Quando o hipertireoidismo não regride com a evolução da gestação, comprometendo, particularmente, o segundo e terceiro trimestres, várias complicações maternas e fetais são referidas. Entre estas complicações, podem ser citadas maiores incidências de eclâmpsia, insuficiência cardíaca congestiva, edema agudo de pulmão, arritmias cardíacas e crise tireotóxica. Além disso, também têm sido relatadasmaiores taxas de abortamento, natimortalidade, prematuridade, baixo peso ao nascer e malformações fetais.

O diagnóstico e tratamento precoces e adequados parecem ser essenciais para a prevenção destas complicações,visando-se manter os níveis de tiroxina livre no limite superior da normalidade, buscando-se o eutireoidismo clínico materno, com o uso da menor dose possível de medicação antitireoidiana.”

É importante então reforçar que embora as complicações possíveis sejam aterradores, uma gravidez dita saudável não está livre de desenvolver as mesmas complicações, seja por hipertireoidismo que se manifeste apenas na gestação, e por ser inesperado pode ser difícil de ser percebido a tempo, como outros quadros clínicos ou não diagnosticados ou que surjam na gravidez. Por isso, mesmo em mulheres com tireóide saudável e nenhum outro fator de risco conhecido, é preciso confiança total no seu obstetra e investigação a fundo de quaisquer sintomas estranhos que apareçam.

Como há alterações hormonais significativas durante a gravidez, muitas vezes certos sintomas, seja de hipertireoidismo ou de outras condições, podem ser confundidos com o “humor de grávida” que tradicionalmente é associado à irritação, manha, preguiça, perda de memória entre outros, e com manifestações físicas “comuns” na gravidez como o ganho de peso, enjoo e edemas. Tudo isso pode mascarar sintomas, então tudo merece uma investigação cuidadosa (embora não neurótica!). Se a grávida não está ganhando o peso que deveria ou se está engordando demais, se está especialmente irritada, se está perdendo o sono, se está inchando… tudo isso PODE não ser nada, pode ser a forma como a paciente reage à gestação, mas pode ser sinal de alguma complicação, que se descoberta a tempo, pode ser controlada e contornada dando espaço para um parto a termo e saudável.

E no caso das pacientes previamente diagnosticadas, o controle de perto dos níveis hormonais, sempre de olho nos sintomas e queixas da paciente, pode ser a diferença entre uma gravidez bem sucedida e uma tragédia. Além disso, transferindo um pouco a responsabilidade para a futura mãe, ao saber que está grávida e que possui fatores de risco, cabe a gestante a consciência de que o tratamento deve ser levado ainda mais a sério e que o médico deve ser informado de todos os sintomas e efeitos colaterais. Tudo isso já é de vital importância em pessoas saudáveis, e se torna ainda mais importante quando a mãe apresenta um fator de risco.

O tratamento padrão no caso de mães hipertireóidicas é o uso de antitireoideanos de síntese (em especial o propiltiluracil – PTU –  pois possui uma menor passagem transplacentária e porque inibe a conversão do T4 para T3). O ideal é que o paciente ao engravidar já se encontre em eutireoidismo clínico (que pode ter sido obtido com Tapazol, a outra droga antitireoidiana), mas caso a gravidez seja inesperada,  o tratamento com  propiltiluracil deve ser imediatamente iniciado visando atingir o eutireoidismo no menor período possível e com dose de manutenção o menor possível. O controle laboratorial deve ser realizado a cada 2 a 4 semanas, dependendo de cada caso, sendo mais frequente antes de atingir o eutireoidismo, e a título de controle, regular após isso.Os beta-bloqueadores, que são associados ao tratamento para controlar os sintomas cardiovasculares, devem ser restringidos aos casos mais graves durante a gravidez, e depois de atingido o controle medicamentoso, retirado, para evitar possíveis complicações para o feto e durante o parto. O Iodo Radioativo é TOTALMENTE contra-indicado durante a gravidez e a tireoidectomia parcial só é indicada em casos realmente extremos.

“O uso de antitireoideanos maternos pode levar a hipotireoidismo congênito neonatal e, portanto, os filhos de mães hipertireoideas devem ser acompanhados nesse período. Leucopenia transitória foi observada em usuárias de PTU, porém o tratamento não deve ser interrompido. Agranulocitose pode ocorrer em 0,2% das usuárias, sendo indicação de suspensão da droga.”

Lembramos entretanto, que o hipotireoidismo congênito é, ou deveria ser, uma preocupação de TODAS as mães, não só as com hipertireoidismo sob uso de drogas antitireoidianas, e para isso existe o teste do pézinho. Embora ninguém deseje isso, o hipotireoidismo congênito, se diagnosticado no bebê, é tratado com a reposição dos hormônios tireoidianos deficitários, ou seja, com doses apropriadas de Levotiroxina como é feito nos hipotireoidismos em adulto. A droga não possui NENHUMA contra-indicação e garante ao bebê uma vida saudável e normal.  Já os demais efeitos colaterais das drogas antitireoidianas são preocupações dos pacientes de modo geral, não necessariamente só das gestantes.

“Perda fetal é descrita em 8%-12% das pacientes não controladas, bem como alta incidência de pré-eclâmpsia e falência cardíaca. “

Grifem o NÃO CONTROLADAS. O hipertireoidismo não controlado é uma doença grave e de alto risco. Em gestantes, o risco é transferido ao feto além da mãe. Grávida ou não grávida, hipertireoidismo não deve deixar de ser controlado.

Também é possivel que filhos de mães com hipertireoidismo nasçam com quadros de hipertireoidismo, que são possíveis de prever pela medição dos níveis de anti-corpos (especialmente no caso da Doença de Graves) presentes no sangue da mãe nos últimos momentos da gravidez. Essa condição é possivel, embora rara, mesmo em caso de mães que tiveram a Doença de Basedow-Graves e que foram tratadas com sucesso no passado, pois em alguns casos, elas continuam produzindo o hormônio tireóide-estimulante mesmo que já não apresentem mais sintomas ou níveis hormonais condizentes com o quadro de hipertireoidismo.

“O hipertireoidismo no recém-nascido, se detectado nesta fase, é tratado com facilidade e dura apenas 2-3 semanas até que o anticorpo da mãe seja inativado.”

Como uma das formas de controle do hipertireoidismo (anteriores à gravidez) envolve procedimentos (Iodo Radioativo e Tireoidectomia) que podem levar a quadros de hipotireoidismo, falemos um pouco dele.

Se não diagnosticado, e a maioria dos seus sintomas se sobrepõe aos sintomas da gravidez, o Hipotireoidismo também coloca a mãe e o bebê em risco. Por isso é importante em paciêntes que sofreram intervenções que podem levar ao hipotireoidismo, que o quadro seja confirmado antes, ou se for o caso, durante a gravidez, para que o tratamento seja iniciado e o quadro contornado.

“A gravidez associa-se aos casos leves ou aos casos graves tratados, pois os casos graves não tratados relacionam-se à anovulação e conseqüente diminuição da fecundidade. O hipotireoidismo tende a agravar-se durante a gestação pelo aumento da tireotrofina.
(…)
O tratamento é feito com tiroxina livre até a normalização dos níveis do TSH. Nas mulheres já em tratamento, as necessidades de tiroxina livre aumentam em 30% a 50% durante a gravidez. O TSH basal deve estar em torno de 0,5-2,0 UI/I, e o T4 livre nos padrões da normalidade ou levemente aumentado.

O hipotireoidismo não tratado pode associar-se à hipertensão gestacional, abortamento, anemia, baixo peso ao nascer e óbito fetal “

Há também relatos de hemorragia pós-parto, má formação congênita e déficit no quoeficiente de inteligência (QI) do recém-nascido. Além disos, pesquisas concluíram que o hipotireoidismo materno não tratado, mesmo aquele sem sintomas, aumenta o risco de alteração no desenvolvimento psicomotor das crianças em quase 6 vezes.

Embora o feto desenvolva sua tireóide independente da tireóide da mãe nos casos de hipotireoidismo, ao esquecer de tomar o medicamento para hipotireoidismo a mãe aumenta a incidência do aborto além das demais complicações possíveis. Por isso, assim como nos casos de hipertireoidismo, é essencial que a gestante leve seu tratamento MUITO a sério, sempre, mas em especial durante a gravidez.

Como não existe uma dose hormonal relativa ao peso ou idade gestacional que seja padrão, as doses de reposição devem ser individuais e monitoradas por exames laboratoriais frequentes, como no caso do hipertireoidismo. O hormônio sintético em excesso pode levar a quadros de hipertireoidismo medicamentoso, e de menos, aos efeitos da doença em si, e novamente, o acompanhamento de perto do endocrinologisca em acordo com o obstetra e a responsabilidade da paciente tanto em tomar o medicamento corretamente como em perceber e relatar os sintomas que sente, faz a diferença entre uma gravidez bem sucedida e, novamente, uma tragédia evitável.

O ideal era não ter problema de tireóide. Mas uma paciente com hipertireoidismo não precisa abrir mão do seu sonho de engravidar. Tanto ainda com hipertireoidismo, desde que controlado pelos medicamentos e sob vigilância constante dos exames clínico e laboratoriais, como tendo optado por tratamentos mais radicais que levaram ao hipotireoidismo, desde que igualmente tratado e controlado, é possivel ser mãe. O que não é possivel é sê-lo sem uma dose extra de preocupação: o controle dos níveis hormonais da tireóide deve ser levado EXTREMAMENTE A SÉRIO, em ambos os casos,como única forma de levar a gestação a termo com saúde para si mesma e para o seu bebê.

Boa sorte. Fé. Força. E acima de tudo, responsabilidade.

(Post inspirado em especial pelo depoimento da leitora Cléo)
Fontes:
Hipertireoidismo na gravidez: repercussões materno-fetais
Hipotireoidismo Congênito
Gestação de alto risco

As doenças da tireóide e a gravidez
Revista Brasileira de Saúde Materno-Infantil (Hipotireoidismo na gestação)
Formação e desenvolvimento do bebê: o que acontece quando a tireóide da mãe não funciona bem?
About these ads
Esta entrada foi publicada em Tentando Entender com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

49 respostas a Hipertireoidismo e Gravidez

  1. Cléo diz:

    Oi, Adriana!!
    Não pensei duas vezes, li tudinho o que vc escreveu. Também já dei uma boa olhada nos links! Eu sou como vc! Não consigo deixar passar nada! Quero saber tudo, timtim por timtim! Não quero surpresas desagradáveis, ficar péssima pq não pude evitar ou minimizar algo, por não ter me informado.
    Meu marido fica preocupado. Acha que eu tenho de relaxar um pouco. Mas eu não consigo. Não agora! Agora eu posso virar noites lendo, me informando. Depois qdo tudo tiver em ordem, tranquilo, e encomendarmos o Bebê. Quero curtir e muito cada momento da minha gravidez! Consciente do que está acontecendo comigo. Afinal temos uma terceira pessoa, absolutamente inocente, dependente das minhas escolhas, da minha saúde! A sua saúde, seu perfeito desenvolvimento, já estão em minhas mãos!
    Às mamães e futuras-mamães que estiverem lendo: Temos de respirar fundo, dominar o pânico e irmos fundo no conhecimento do que está a nossa espera. Nós vamos ter de lidar com isso, então que seja de cabeça aberta, plena, consciente de cada fato, fase que estão à nossa espera! Pensamento no produto final de todo esforço:
    “Uma criança linda, perfeita, saudável!”
    Como te disse Adriana, estou decidida a fazer o tratamento com Tapazol até normalizar, e depois PTU. Tenho tido uma ótima melhora! Na segunda e na terça, já com a metade da dose prescrita pela médica, minha pressão caiu muito. Então não tomei propanolol, nem ontem nem hoje.Tem dois dias que batimentos cardiacos e pressão estão ótimos. Fui para academia hoje, fiz esteira e meus batimentos não passaram de 128. Isso andando 4,5km/h. Antes eu tinha de ficar nos 3 km/h. Daqui 20 dias faço novos exames, 28 dias nova consulta com nova endócrino, semana que vem hepato. Acredito muito que terei bons resultados!
    Por tudo que tenho visto, estou consciente que ali na frente posso ter de mudar de tratamento. Não dá pra ser cabeça dura, nem teimosa, tem de ser racional, né?!? Coisa que nunca fui! Pra mim tudo sempre é pelo que sinto, racionalidade zero! Mas qdo se trata de filhos, as coisas mudam muito rápido não é?
    Obrigada, obrigada, obrigada!
    O carinho com escreve, faz aquele”quentinho” no coração! Sabe? Como aquele chocolate quente com bolinho de chuva da mãe da gente!?! Fez muito bem pra mim! Fará muito bem a muita gente!
    Grande beijo!
    Cléo.

    • Cléo, fico feliz que o texto tenha sido de alguma ajuda pra você. Se eu esbarrar em algum outro link que eu ache interessante quando eu estiver pesquisando outros assuntos, deixo aqui nos comentários, tá? Você também pode fazer isso se quiser, para outras leitoras interessadas nesse assunto.

      Já achou outro endócrino?

      Ao que parece sua hiper não teve, ao menos ainda, muita ação no seu sistema cardiovascular, o que é ótimo. Como sedentária de plantão (shhhh… ninguém viu isso, ninguém leu isso, ignore…) eu não tenho idéia se 128 bps na esteira fazendo 4,5 km é bom ou ruim (LOL). O que sei é que o meu endo cortou atividades físicas (que eu não estava fazendo, shhhh… ninguém viu isso, ninguém leu isso, ignore…) porque meu coração tava na casa dos 110 e 120 em repouso. E ainda hoje, controlado pelo atenolol, se eu der a doida e começar, por exemplo, a faxinar a casa, não demora 5 min e o coração dispara…
      Sei que pra quem faz exercício regular o treco é meio viciante, mas não deixe de falar pro seu novo endo suas atividades físicas, ok? E como seu coração reage! Ele pode achar ótimo ou pedir pra reduzir ou usar até como controle, então não deixe de comentar com ele! :) Até porque você vai precisar do seu coração perfeitinho pra durante a gravidez!!!! :)

      No mais, beijo e sorte! :)

      • Gislaine Marques Guimarães diz:

        Oi Adriana,tudo bem?
        Li tudo o que vc postou ,sobre hipertireoidismo e gravidez e eu me interesso muito por este assunto,tanto que estou preparando uma revisão bibliográfica ,para apresentar no final da minha faculdade neste ano .Não tenho encontrado muito artigo sobre esse assunto,e quero saber se vc pode me ajudar, com materiais,links…eu agradeço muito,pois o foco da minha revisão é explicar claramente as alterações metabólicas que ocorre na mãe,se vc puder me ajudar?Desde já agradeço.Bom Domingo!

        • Não vou poder ajudar muito mais que isso, infelizmente. Tudo que sei pesquisei na internet mesmo (os links estão no fim do artigo). Como não foi para um trabalho científico ou coisa assim, não me preocupei em arquivar materiais, e esses links foram o suficiente para escrever esse artigo.

          Alguns outros textos aqui no site também tem link como referência, mas só navegando pra ver… Mas veio tudo de pesquisa no google e muita garimpagem para ver o que prestava e o que era só mais do mesmo ou informação vazia.

      • Leidy Lopes diz:

        Olá.. tdo bem??? tava pesquisando sobre doenças da tireoide e achei essa matéria super interessante, pois precisava saber disso mto, pois fui diagnosticada com hipertiriodismo e por fim pressão alta, tenho 23 anos e ainda não estou gravida por prescrição médica do meu cardiologista e ginecologista. Mas ka entre nós tem hora q me da uma tristeza de saber q essa tal de problema de tireoide tem tratamento e não cura afff, e por fim essa pressão.. to igual a idoso tomando remédio pra pressão, pro coração e pra tiroide… Me deem uma luz sei lá rsrsrs

        • angela diz:

          Oi Leyde Lopes, meu nome é Angela, e ha um ano e meio comecei meu tratamento contra o hipertireoidismo. No meu caso, nunca sofri de pressao alta, mas emagreci muiiitoooo mesmo, pq até então nunca havia sentido nada, e esse sintoma foi o primeiro a ficar evidente em mim.
          Nao desanime, comecei meu tratamento em maio de 2011 e hoje, setembro de 2012, posso me dizer “curada” do hipertireoidismo. Meu tratamento foi muito bom. Minha endocrina começou com dose alta da medicação, tomava 1 comprimido de propanolol e mais 6 comprimidos de tapazol de 10 miligramas por dia. Hoje tomo meio comprimido de propilracil e mais nada. Meu retorno é em dezembro, e já estou liberada pra tentar a engravidar !! Nada se tem a temer quando em primeiro lugar se tem fé em Deus, e em segundo, levar o tratamento a serio e tomar a medicação todos dia e no mesmo horario.
          Hipertireoidismo tem cura. O Hipotireoidismo, nao tem, mas em compensação as mulheres que sofrem de hipo podem sim serem mães, ja as mulheres que tem o Hiper, precisa fazer o tratamento primeiro, para depois pensar em maternidade.
          Espero ter ajudado,
          Abraço.Angela

    • Mariana diz:

      Olá cleó tudo bem ?
      Vi seu comentário, sei q ele é um pouco antigo , mas como estou passando por uma situação parecida ..gostaria de saber comi vc esta , como foi seu tratamento e o q mais de conhecimento vc adquiriu.. Se puder conversarmos ficarei grata !
      Bjo

  2. Cléo diz:

    Oi, Adriana!
    Tudo bem? Perdoe a demora em responder.
    Putz!!!Passei uma impressão errada!!rs…Nos meus recém completos 36 anos de vida, é a primeira vez que piso em uma academia!!rs…E foi por indicação dos médicos. No meu caso eu não perdi uma grama, só ganhei!! Ansiedade+fome absurda=Cléo(que já estava fora do peso)++gorda!!rs…Pra quem quer engravidar, com todos esses novos obstáculos, esses 20kg a mais é um gde complicador. Então o momento para eu realmente começar a me cuidar é esse! A quase um mês faço yoga, e a pouco mais de duas semanas, tenho feito 40 minutos de esteira + treinos em aparelhos com cargas minimas. Não malho até ficar quebrada, dolorida no outro dia. De jeito nenhum! No meu caso, a atenção aos batimentos cardiacos, é essencial. Os instrutores que me acompanham na academia sabem das minhas limitações. Na minha ficha tem em letras garrafais, “batimentos cardiacos máximos 120 a 130″. Tenho ficado feliz, pois a cada dia aumento um pouco a velocidade. Já estou perto dos 5km/h, nunca passando dos 130(Pelo que vejo um ritmo bom, confortavel para a maioria, é na faixa dos 6, 6,5Km/h). Aconteceu na semana passada, de começar a subir rapidamente dos 130 para os 170, imediatamente reduzi a velocidade até parar. Faço o controle dos batimentos rigidamente enquanto estou lá. Por mais que aparentemente esteja me sentindo bem, sei que não devo e não quero sobrecarregar meu coração. Então não descuido!
    No meu caso, em repouso, os batimentos nunca passaram dos 105.
    Qto a endócrino…Agendar um endócrino me pareceu igual a agendar um horário com uma celebridade da Globo. A duas semanas atráz qdo comecei a procurar, de 15 que eu liguei 12 só abririam agendamento à partir de agosto! Tudo lotado! Não posso esperar todo esse tempo, para começar com outro médico, continuar o tratamento. Depois de muita pesquiza (fiquei umas 5 horas para conseguir agendar), consegui um encaixe, (me pareceu um mega favor da secretária), para 17/06. Pago uma fábula de plano de saúde, com a maior parte dos médicos, não passa de 30 dias. Mas os endócrinos?!?! “São estrelas”! rs…Já tenho uma lista de médicos com consultas regulares: Oftalmo, dermato, hepato, etc…etc… Nunca pensei que pudesse chegar a esse ponto! Rs…
    Mas não tenho que reclamar, não é?!?!Muita, mas muita gente, não tem acesso a tratamento adequado! Nem a informações, nem a possibilidade de trocar de um médico pq não gostou do atendimento, não concordou com o tratamento. Muitas vivem muito tempo convivendo com esses sintomas terriveis, sem nem imaginar do que se trata, e só acaba realmente tomando pé da situação qdo acontecem as piores complicações.
    Eu só tenho a gradecer! Pq pegando todo o “Meu” pesadelo, que é essa doença! Comparando com tudo o que eu encontrei nessas minhas pesquizas, os meus horrores não chegam a um décimo do horror de tanta gente. Ainda não fiz exames de sangue, para saber se o Tapazol está me prejudicando de alguma maneira. Mas Adriana, não tive nenhum efeito colateral! Só melhorei! Acabaram os tremores! A pressão fica às vezes até baixa demais! A ansiedade diminuiu muito! Tenho acordado menos cansada!
    Falta bastante ainda, mas é muito animador, não é!??!
    Bem, obrigada pelo post!
    Continuo a acompanhar o que escreve!
    Um gde beijo!
    Cléo.

    • Ahhhhh… compreendido! Eu bem precisava fazer alguma coisa, caminhar já seria bom, mas aí eu olho lá pra fora, e tudo parece tãoooo longe, e eu fico com medo de cruzar com algum bicho no caminho (eu moro praticamente no meio do mato!) e penso que tenho que comprar um tênis melhor pra isso ou vou ficar com dor nas articulações e … e… é tudo tãooooo complicado que eu deixo pra amanhã. Opss, já é amanhã! :)

      Endócrino é complicado. O número de pessoas com complicações endocrinológicas (disfunção da tireóide, diabetes, etc) aumentou tanto (ou as pessoas estão finalmente tendo consciência dessas coisas) que não tem endócrino suficiente pra todo mundo… Bom pra eles, ruim pra gente! A minha sorte é que o meu atende como clínico geral num posto de saúde, então eu marco como consulta regular e ele me atende como especialista. Se não fosse assim, eu estaria amargando os mesmos problemas que você, com o agravante de só ter endócrino atendendo como endócrino mesmo em outra cidade o que significaria me deslocar na estrada pra ser atendida…

      Você está tomando um beta-bloqueador? Porque se estiver, eu não quero ser portadora de más notícias, mas os sintomas que o beta-bloqueador atua (tremor, taquicardia, pressão alta, palpitação e parte da ansiedade) vão embora rapidinho mesmo. Chega a ser impressionante. Em menos de uma semana eu já notava a IMENSA diferença. Agora os outros demoram mais, infelizmente. Depois de uns 7 meses e com os hormônios praticamente equilibrados, eu ainda ando pra lá de irritada, ainda sinto muita dor muscular e minha menstruação é o samba do crioulo doido, mas pelo menos voltei a sentir frio (até demais pro meu gosto, lol!) e minha concentração está melhorando a olhos vistos, enfim, nem todos os sintomas vão embora ao mesmo tempo… Mas se não estiver tomando beta-bloqueador então OBA… seu hiper deve ser suave e o tapazol já está atuando! :)

      Depois de amanhã tenho dermato e nutricionista. Os cabelos já pararam de cair horrores mas ainda precisam de muita ajuda e vamos ver se a dermato dá conta e quanto a nutricionista, bom, não estou pretendendo fazer dieta não, mas não custa ter uma linha de conduta pra que eu siga quando possível ainda mais agora que a fome monstra finalmente foi embora (ficou só a ansiedade mesmo!). Estou indo mais por conta da minha filha que tá incomodada com a barriguinha de pré-adolescente (ela tem o corpo igualzinho ao meu quando eu tinha a idade dela… e dos 15 até engravidar eu fiquei super magra, então eu não estou preocupada, mas se ela está, não custa oferecer a opção de uma reeducação alimentar, né? ) e já que vou levar ela, marquei pra mim também. Mal não vai fazer!

      Preciso ir num oftalmo, mas tá complicado… meu plano de saúde não tem nenhum médico pela redondeza, particular eu tô sem grana e marcar pelo SUS, oftalmo é uma luta, porque é em outra cidade e tem uma fila gigantesca… Acho que fico cega antes de chegar o dia de ir, mas isso é detalhe! :)

      Ficamos aguardando por mais notícias, ok??

      • ana cláudia nogueira vianna diz:

        oi adriana,aqui quem fala é ana cláudia,sou mãe de clarinha ela tem 4anos e 5meses,quando ela tinha 3anos e meio descobri que ela tinha hipertireioidismo, o pediatra dela pediu os exames de homonios porque os olhos dela ficaram bastante saltados e arregalados,eu já percebia que havia algo errado,só não sabia o que era, ela era extremamente agitada,não conseguia dormir sozinha eu tinha que nina-la, quando eu descobri o problema fiquei muito triste e preocupada,mais ela está em tratamento com uma ótima endocrina,ela toma 15mg de tapazol e é outra criança hoje, ela é calma o coração bate mais ou menos 92bts/m mais já chegou a 140. eu gostaria de saber se tem alguém com algum filho nesta idade que tenha esse problema,porque dá-se uma imprensão que só eu tenho uma filhinha com hiper.bjs cláudia.

        • Não conheço muitos casos com crianças pequenas, mas acontece, infelizmente. Criança não devia NUNCA ficar doente, que dirá com uma doença tão exaustiva como o hipertireoidismo.

          Torcendo para que ela entre em remissão e essa danada dessa doença não volte nunca mais! :)

  3. Cléo diz:

    Oi, Adriana!
    Tambem estou sentindo frio de novo!!rs…
    Frio!!!!Muito frio!!!Que delicia!!!Adoro o frio!!
    Acho que o meu primeiro sintoma foi o excesso de calor! Eu não percebi a principio…a minha vida toda, podia estar o maior calorão, podia dormir pelada, mas nunca sem meias!!rs..Na verdade quase nunca pelada…rs..sempre tinha de estar de pijma, meia e edredon, nunca sentia calor à noite! Não sei qdo, mas fui deixando de por meias nos pés a noite, ou se colocava acabava acordando sem…e muitas vezes, acordava para me descobrir…depois comecei a tirar os sapatos, e me deliciar ao sentir o friozinho do piso…depois comecei a sentar no chão para me refrescar….rs…Imagine se eu antes andava descalça?!?Se meu pé gela, parece que nunca mais vai esquentar..rs..mas eu achava que o tempo estava mesmo doido…tão doido que até eu estava sentindo calor!!!rs…mas o meu marido que sempre foi calorento, começou a achar estranho, que ele sentia mais frio que eu agora, colocava mais agasalho, e na hora de dormir, eu não queria saber, nem de pijama, nem de meias e edredon…rs…comecei a beber água no meio da noite!
    Moro em Cotia/SP, a 200mt da minha casa tem um lago. As noites sempre são frescas no verão e no inverno muito frias!É uma coisa que amo! Mudar para cá a quase 2 anos foi a melhor coisa que fizemos. (moravamos em SP antes, não mais que 30km daqui)
    A temperatura agora, 8 da noite, é de 11°, a sensação térmica é bem menor! Estou de manga longa, meias, bota!
    Uma delicia! Estava com saudades!
    Em que cidade vc está?
    Qto ao propanolol a uns 10 dias não tomo mais! Minha pressão e meus batimentos cardicos estavam caindo muito! Suspendi por minha conta. Estou me sentindo bem assim, só com o Tapazol.
    Por isso te disse que estou muito feliz! A resposta esta sendo muito rápida!Semana que vem faço exames de sangue, para ver as respostas de lá tambem!
    Estive no oftalmo semana passada e aparentemente o Graves não afetou meus olhos, a não ser a qualidade das lágrimas, que para mim já era um problema, eu tenho sindrome do olho seco, ele ficou muito, muito irritado, mas dois dias de super hidratação, resolveram…tenho de forçar mais a lubrificação agora!
    Sexta vou a dermatologista.
    Fuçando na internet, semana passada, encontrei essa imagem de mixedema pré-tibial. Fui observar no espelho, e minhas pernas estão 2/3 do que está nessa foto, no link abaixo. Sempre tive o tornozelo mais grosso, estou mais gordinha, não prestei atenção antes. Apalpo e é meio durinho. Então já liguei na dermato, que me conhece a anos, chorei com a secretaria e ela me arrumou esse encaixe. Vamos lá, né!?!?
    http://www.misodor.com/images/mixedema_graves.png
    Fico feliz que estava se sentindo melhor tambem! Pelo que li em seus textos, pra vc foi muito mais forte, que pra mim.
    A qto tempo vc esta se tratando?
    Espero que as consultas sejam bacanas! É importante se cuidar, prevenir! Faz bem em acompanhar sua filha! Que bom que ela se preocupa! Boa sorte para as duas!
    Gde beijo a vcs!
    Ótimo feriado!
    Cléo.

    • Também adoro frio, mas não sei se a temperatura está mesmo muito baixa ou se são meus hormônios, mas eu nunca fui friorenta desse jeito. Tô batendo queixo por aqui!
      Moro no sul de minas, Cambuquira pra ser mais exata, uma cidadezinha no circuito das águas, bem no meio do nada. Isso já tem uns 4 anos. Antes, e por toda a minha vida, no Saara do Rio de Janeiro. E um dos motivos da mudança foi fugir do calor. Aqui é BEM frio, apesar de na minha infância já ter sido mais. Era um inverno todo de geadas e água congelada nos parabrisas e janelas dos carros quando amanhecia… Agora com o aquecimento global não é tão frio assim, mas sei que esse ano já teve um dia com temperatura simpática de 4 graus! Pobre dos meus filhos que andam o equivalente a uns 2 ou 3 quarteirões, só que cercados por verde e poucas casas, pra pegar a condução pra escola as 6:15 da manhã!!!!

      Fico feliz que não esteja sentindo a necessidade do betabloqueador, mas você não devia ter parado por conta própria. Esses são daqueles tipos de remédios que é melhor reduzir antes de parar. Por sorte não deu ziquizira nenhuma (graças!!!!) mas se o médico prescrever de novo, antes de parar, reduza. Eu estou tomando meio comprimido agora. Mas tem dia que volto a sentir necessidade de uma dose maior. Mas no começo, tinha dia que eu precisava de dose dupla, então já é uma grande melhora.

      Tô me tratando desde setembro do ano passado. Eu acho…

      Tem um post sobre mixedema por aqui… mas não sei muito. Quando esquenta eu tenho só o inchaço, mas não a irritação. O médico acha que era por conta do aumento da pressão arterial mas que eu não cheguei a desenvolver o mixedema pretibial não! Cuida disso, tá? Muito pé pra cima e dane-se os outros! :)

      E sim, foi pauleira. Mas porque eu sou teimosa e demorei a ir no médico. Os sintomas foram aparecendo meio que um por um, e eu sempre achando que não era nada. Até que juntou tudo e eu realmente achei que fosse algo muito mais grave do que era de verdade! Foi meio assustador. Mas agora é tranquilo, dias bons, dias mais ou menos e cada vez mais raramente, dias ruins! :)

      As consultas foram tranquilas. SE quiser ler como foram, postei aqui no blog!
      http://themiddleofnowhere.wordpress.com/2010/06/02/maratona-no-susto/

  4. Pingback: O povo pergunta, a gente responde (16) | Indo devagar

  5. andreia Disse:
    26/06/2010 às 12:05
    estou tentando entender o k se passa komigo pois ja fiz os este beta hcg teste da urina e nada deu sao testes diferententes axo k ambos deviao dar iguais mas n deu e nos testes de gravidez deu negativo e os meus sintomas sao….muito sono mestruaçao nao vem ha 8 semanas dores de corpo principalmente de pernas costas e ombros dor de cabeça vontADE DE vomitar dor horriveis na bexiga peito dorido e doi ando um pouco rabugenta n me estou dando muito bem kom meus pais …..entao continuando ha 3 anos tive uma gravidez ectópica e tirarao me uma trompa em janeiro deste ano tive um aborto espontaneo…mas acho k n tem nada a ver eu tenho 19 anos e estou com medo do que possa ser ja vi cancro…problema de figado…po favor me ajudem meus medicos de familia so passao meducaçao ja fui nas urgençias e nada feito tirarao me sangue e n tem nada pode ir embora e eu kero saber u k se passa kmg tenhu medo de morrer sério…..alguma coisa me respondao por favor meu nome é andeia e tenho 19 anos obrigada

    Andréia, sei que nessas horas a gente fica super nervoso, mas calma. Isso pode não ser nada de sério. Existem várias coisas que podem alterar o ciclo menstrual (tem um post sobre isso aqui no site, se quiser dar uma procurada!) e muitas vezes não é nada sério.
    Mas infelizmente te ajudar dizendo o que é , eu não posso. Você vai ter que procurar um médico e falar pra ele que só sai do consultório quando ele lhe passar os exames básicos todos, e mais outros que ele julgue apropriado para a sua lista de sintomas. De posse do resultado desses exames é que, excluindo coisas e levantando suspeitas para serem confirmadas com novos exames, vai ser possível fazer um diagnóstico do seu caso.
    Mas ficar nervosa só piora. Muitos dos sintomas ficam maiores quando estamos nervosos. Corra atrás de uma resposta através de exames e médicos, mas não deixe que isso seja a sua vida, isto é, é importante que você descubra o quanto antes qual é o problema, mas não vale a pena ficar desesperado, ainda mais antes de saber o que se tem. É que normalmente não é nada grave…

    Boa sorte!

  6. Tentando explicar melhor meu conselho para a Andréia (e por favor, Andréia, responda aqui e não lá, se precisar saber mais alguma coisa, ok?)

    O conselho é
    Fique calma
    Procure um médico e peça que ele faça TODOS os exames que forem compatíveis com as suas queixas. Por exemplo: Dor na bexiga pode ser infecção de urina. Se não der nada no exame, o médico descarta infecção e vai procurar outra causa. E assim por diante.

    Mesmo se eu fosse médica não seria possível fazer um diagnóstico via comentários. Então você precisa ir ao médico. Sei que você disse que já foi, mas vá de novo, e dessa vez insista que ele faça os exames todos até achar o que você tem.

    Nesse meio tempo, fique calma, pois provavelmente não é nada sério!

  7. Fernanda diz:

    Adriana,

    Muito bom o seu post sobre gravidez e problemas da tireoide.

    Aproveitando, vou deixar uma dica:
    Acontece nesta sexta, dia 26, às 14h, um chat sobre tireoide no site http://www.mulhersemfalta.com.br. Na ocasião, a médica endocrinologista Dra. Gisah Amaral fala sobre a relação entre gestação, aborto espontâneo e a glândula tireoide. Ela usa o espaço para esclarecer as principais dúvidas acerca do tema.
    Como o assunto é pertinente ao seu blog, seria interessante se você pudesse participar.
    Abç,
    Fernanda
    Agência Ideal

    • Olá Fernanda,

      Obrigada pelo convite e fica a divulgação para as leitoras aqui do blog!
      Vou fazer um micro post avisando. :)
      Farei o possível para aparecer apesar do horário ser meio complicado pra mim nas 6as! :)

  8. renata carneiro costa diz:

    Adorei a matéria sobre gravidez e problema na tireoide,embora a minha deficiencia na tireoide seja hipotireoidismo,mas ela foi informativa de qualquer forma!
    Quando decidir engravidar,vou me cuidar ao máximo,para que o meu filho nasça saudável,e mesmo que nasça com algum problema,que seja diagnosticado de início para tratamento.No meu caso,se demorasse mais para mim a descoberta,teria crescido com retardamento mental,uma vez que nasci com hipotireoidismo,a minha tireoide nao funciona e o remedio substitui a funçao da glandula,eu sou paraense,e no pará em 87,que é o ano que eu nasci,segundo a minha mae,ainda nao tinha chegado teste do pezinho,então eu não fiz para ser diagnosticado logo,mas eu apresentei os primeiros sintomas,que foi logo nas primeiras semanas de vida,tive ictericia,depois maior ja com ano,tive hernia umbilical,e em comparação com a minha prima era uns 10 meses mais nova que eu,e estava com 10 meses já engatinhava,e eu nos meus 1,5 mal sentava,era mole…entao uma amiga da minha familia que era pediatra,e estava antenada na epoca reparou o retardo,me indicou para um endocrinologista,e desde aí eu venho tratando,sempre vou no medico endocrinologista que cuida de mim desde os meus 1,5,demorasse um pouco mais teria sido tarde,mas graças que deu para reverter a tempo.=]

    Acho que agora eu entendo porque era tao lenta pra correr hahaha,e porque era gaga,eu tenho lido muito sobre hipotireoidismo,e tudo,e nao apresentei nenhum problema de aprendizagem quando criança,até sempre aprendi bem rapido,o caso é que minha atençao sempre foi focada rsrsrsrs,no que eu gosto,eu aprendo com uma facilidade incrivel e surpreendente,muitas vezes até sozinha,mas o que nao me interesso,as vezes nem reza de santo pra dar jeito…

    Mas agora eu depois que li mais sobre a tireoide,descobri coisas que antes nao fazia idéia,como as vezes a minha dificuldade de memoria,e tem agravado recentemente,principalmente em tempos de stress,eu troco tudo,troco açoes e palavras,tenho brancos frequentes…eu nao associava meus problemas psicologicos ao hipotireoidismo,e como sou esquecida,as vezes esqueço o remedio,o que piora o meu humor e psicologico.
    Mas como sou teimosa,sempre fui,nunca me deixei limitar por qualquer dificuldade,principalmente quando quero muito algo,superei a gagueira,que era horrivel,mas conseguia falar,era completamente fisiologica,e alem de ser lenta nos esportes,isso fazia com que sofresse algumas perseguiçoes no colegio no primario,fundamental e médio…de inicio fazia meus trabalhos sozinha,mas depois ja fazia com grupo,mas ainda que ninguem quisesse fazer trabalho comigo,me virava sozinha,em esporte continuei horrivel rsrsrs,ao menos nos que envolve bola,mas nao me importo muito,porque meu negocio é arte mesmo,e até me formei nisso recentemente.

    As vezes ainda gaguejo,mas minha gagueira agora é emocional,somente quando estou muito nervosa,mas sempre estou tentando contornar minha irritabilidade,frequentemente,tenho tendencia a ser violenta,mas como nao gosto entao sempre estou procurando controlar esse impulso dentro de mim,entao digamos que meu humor muda bem rapido,eu mudo meu humor propositalmente,sempre que posso,nao gosto de me aborrecer,entao sempre procuro evitar,e quando me aborreço,procuro nao deixar me levar muito tempo.

    Detalhe que so fui frequentar fonoaudiologo e psicologo ja adulta,entao superei minha gagueira,e problemas psicologicos digamos que sozinha.=]

    Bem,é isso,obrigada pela materia,muito informativa,tenha uma boa semana,beijos!

    • Obrigada pelo seu depoimento, Renata.

      É super importante as pessoas entenderem que tireóide é um assunto sério, seja quando funciona demais ou quando funciona de menos. Mas é possivel de ser controlada e levarmos uma vida normal, apesar de qualquer pezar… :)

  9. Táta diz:

    Olá !!!
    Amei a forma como vc colocou a situação…
    Realmente, primeiro bate um desespero, depois um desanimo com o tratamento, e a vontade é de largar mão de tudo… cansa… rsrs
    Mas… Bola pra frente…
    Descobri o Hipertireoidismo qnd resolvi querer engravidar. Tratamento com Tapazol por dois meses, que prejudicou o meu fígado (legal né… rsr).
    Agora vou começar o tratamento com iodoterapia… Esperar mais um tempo pra poder começar a tentar engravidar…
    Era para ser tudo tão simples. neh? Eu só queria ter um bebe no meu colo pra chamar de meu… (a história do sonho perfeito)
    Mas, quer saber? Depois de ter operado o útero mês passado (é, eu tinha um septo no útero que tb descobri qnd resolvi engravidar) e agora estar nessa função toda, “consertando” a tireóide, tudo isso para ter meu bebe…. Não vai existir criança mais aguardada, desejada, amada nesse mundo…
    Tudo isso faz com que valorizemos muito mais esse presente que Deus nos dá, um filho…

    Bom, na realidade eu só queria te parabenizar pelo texto. E dizer que, assim como a mim, deves estar ajudando muitas pessoas…

    Parabéns!

    • Infelizmente o perfeito não existe, né? Mas a gente sobrevive, a gente briga e a gente contorna a situação!

      No final vai ser só uma lembrança pra dar ainda mais emoção pra história! Você vai ver!

      Ficamos aguardando notícias de como foi o tratamento com o Iodo, ok?

      E te desejo MUITA MUITA MUITA sorte com tudo! :)

  10. brenda diz:

    olá Adriana eu tenho Hipertireoidismo e deve ser hereditario pois minha mãe teve, hoje ela está curada. Graças a Deus! no começo do ano tive um aborto espontaneo por incompetencia do meu medico de emergencia, infelizmente. No momento que eu soube, eu nao quiz, mas quando ouvi o coração dele foi uma emoção sem explicação, mas quando soube que estava parei com o tapazol e demorei muito a começar o propil. e acabou na fatalidade., ficou muito marcado. Hoje em dia minha tireoide ta bem melhor, mas aijnda nao está compensada. E agora estou tendo sintomas de outra gravidez, e queria sua opnião….

  11. Cristiane Azevedo diz:

    Olá Adriana, gostaria de agradecer e parabenizar pelo texto sobre tireoide e gravidez. Estou tentando engravidar e descobri que tenho hipertireoidismo clinico, isso me deixou super desanimada, em breve vou começar tomar tapazol, espero ter sucesso…

  12. Greicy diz:

    o ideal é tratar a disfunção primeiro… pelo menos foi o que minha endócrino me disse!

  13. fabiele diz:

    Adorei saber td sobre hipertireoidismo.Tenho 25 anos e desenvolvi a hipotireoidismo apos ter minha filha. Quero muito ter mais um mas tenho medo dos riscos o q faço?

  14. Greicy diz:

    Você está tratando a doença? Que eu saiba, é frequente a tireóide descompensar após a gravidez. Pelo que minha endócrino disse, para ter outro filho você terá que estabilizar seus hormônios, senão pode haver complicações. Siga as orientações do seu médico e não deixe de tratar a disfunção, ainda mais hipo, que é mais fácil de lidar do que hiper. Boa sorte!

  15. daiane diz:

    OI,ADRIANA tenho hipertiroidismo e ja faz 3 anos q descobri,tenho acompanhamento e fazia uso tapazol,mas engravidei com milagre de deus pois usava anticoncepicional ha 4 anos , estou muito preocupada sobre a formaçao do meu feto o medico suspendeu o tapazol,e passou o propil mas li a bula e tbem pode causar ma formaçao,gostaria de saber ser ja teve caso, e se isso pode acontecer comigo e ser devo tomar o propril.Por favor me respode obrigada.

    • Sim, deve. Propril tem uma taxa de passagem pela barreira placentária bem menor que o tapazol, então é o indicado para hipertireoidismo com gravidez. Claro que a bula assusta, mas pensa assim, legalmente o laboratório precisa colocar TODAS as possibilidades, pois mais remotas que sejam, mas nesse caso, o benefício é BEM maior que o risco.
      Sem medicação, vc pode ter problemas graves, que vão colocar a sua vida e a do bebê me risco. Então siga a prescrição médica e qualquer sintoma diferente, fale om o médico.

  16. Alessandra Santos diz:

    Adriana,
    Estou muito preocupada. Iniciei o tratamento com 02 comprimidos de Tapazol 10mg em Janeiro/2012, porém no inicio de MARÇO/2012 descobri que estava gravida (e de 5 meses) durante um exame de ulrasson transvaginal por conta de uma “bola”na barriga, na hora já deu até pra saber o sexo do bebe (menino) de tão evoluida que estava minha gravidez.. Como me sentia muito mal por conta do hipertireoidismo continuei tomando o tapazol. Fui em minha 1ª consulta com a obstetra de alto-risco que me disse: “Nem sei se grávida pode tomar tapazol…?! ” e pegou o celular e ligou para uma colega que lhe disse para eu continuar o tratamento com tapazol e tomar tambem Propanolol. O problema é que minha encocrino está de férias, já tentei passar como urgência e não consegui. Consegui marcar uma consulta com outra endocrino p/ 12/04/2012. A questão é que não estou conseguindo dormir à noite com esta preocupação toda…

    Voce saberia me dizer quais os reais riscos para o bebê? Se a incidencia de alguma má formação ou doença é alta ou minimamente baixa para os casos de gestantes que fazem uso de tapazol?

    Por favor não me deixe sem respostas…

    Mamãe aflita…

    Boa noite!

    • Akemi diz:

      Alessandra, bom dia estou com o mesmo problema que o seu, mas no meu caso, estou com 6 semanas…e passei pelo endocrino, ele mesmo que receitou o tapazol 5mg, mas lendo a bula, fiquei morrendo de medo. Agora estou naquela duvida, tomar ou não tomar?! Por favor, me diga como ficou sua situação? Abraço, boa sorte!!

  17. Greicy diz:

    Alessandra, que eu saiba, o propil é mais indicado para gestantes.
    Não sou médica, mas aqui mesmo neste blog tem depoimentos de mulheres que tomaram propiltiouracil na gravidez, já que ele parece atravessar menos a placenta.
    Quanto a má formação do feto, eu não sei dizer…. sugiro a você consultar opiniões de outros médicos, assim como você fez com o endócrino. Com hipertireoidismo e gravidez não se brinca!
    Minha endócrino, por exemplo, me proibiu de engravidar até que meus hormônios se estabilizassem.
    Desculpa não poder ajudar mais… quanto a medicação, converse direitinho com os médicos, pois, até onde sei, o tapazol é contraindicado na gravidez. A aflição e a insônia são normais no seu estado, ainda mais que você está hipertireoidica, mas tente ficar tranquila. Pense no seu filho em primeiro lugar! Escreva dando notícias.

  18. Alessandra Santos diz:

    Obrigada Greicy,
    Volto com notícias depois da consulta.
    Abçs

  19. Giovana diz:

    Oi Adriana,olha fiz uma cesarea e ainda tomo o remedio da tireoide!!!tem algum problema???pois esta me dando um desarranjo!!!! conto com sua resposta…obrigado…. Janete

  20. Leidy Lopes diz:

    Olá Adriana.. tdo bem???

    Tava pesquisando sobre doenças da tireoide e achei essa matéria super interessante, pois precisava saber disso mto, pois fui diagnosticada com hipertiriodismo e por fim pressão alta, tenho 23 anos e ainda não estou gravida por prescrição médica do meu cardiologista e ginecologista. Mas ka entre nós tem hora q me da uma tristeza de saber q essa tal de problema de tireoide tem tratamento e não cura afff, e por fim essa pressão.. to igual a idoso tomando remédio pra pressão, pro coração e pra “tiroide” mas foi suspenso… Me deem uma luz sei lá rsrsrs, Ja tomei tapazol por alguns meses mas a endocrinologista resolveu suspender, mas nessa demora do tratamento e alguns imprevisto minha pressão resolveu alterar mto.. ai começou o tratamento com remedios de pressão alta(losartana, hidoclotiazida e por fim propanolol) agora falta ir novamente na endocrinologista pra ver o q vai ser né… Será q tenho q tomar novamente remédios, iodoterapia sei lá… rsrsr

  21. Luciana Rodrigues diz:

    Olá!
    Meu nome é Luciana e descobri que estou com hipertireoidismo há um mês. Minha mesntruação não vem desde Outubro de 2011, época em que estava pensando em começar um tratamento para engravidar, estava com 39 anos na época, unca engravidei. Esperei alguns meses, para ver se a menstruação voltava então procurei meu Ginecologista, fiz todos os exames em fevereiro de 2012, estava com vários hormonios alterados, porém o T4 e o TSH estavam normais, achei que estava entrando na menopausa, para meu desespero, já que tinha decidido fazer o tratamento, o médico não me deu muitas esperanças, passei por outro Gineco para ouvir uma segunda opinião, fiz novos exames hormonais, diferentes mas com o mesmo resultado e a resposa foi muito próxima do meu Gineco de muitos anos, filho somente com óvulos de uma doadora. Consultei um terceiro Gineco, mostrei todos os exames, partimos para um ” tratamento alternativo”, DHEA para ativar hormonios que estavam em baixa e Progesterona Bio Identica aplicada na pele associada a dois outros medicamentoshomeopaticos. Resultado nada de menstruação e com 40 dias do tratamento citado, vários sintomas indesejados como perda de peso, coração disparado, irritabilidade, ansiedade, queda de cabelo e pele com placas vermelhas e coceira. Mas o que me levou ao pronto socorro por duas vezes foi a garganta inchada, muito dolorida, inclusive para engolir a saliva, imagine a comida. O primeiro médico do pronto socorro já citou uma suposta alteração na tireoide, como viu a minha cara de “como assim?” já fez o pedido dos exames de sangue e ultrasonografia, uma semana de antibiótico que diminui a dor na garganta e o incomodo para engolir, fiz os exames e a dor voltou logo que o antibiotico voltou, levei os resultados dos exames para segunda médica do pronto socorro que diagnosticou na hora o Hipertireodismo. Já estou em tratamento com Tapazol há 20 dias, alguns sintomas melhoraram, outros estão voltando, como a coceira e consequentemente a pele com placas, ando meio deprimida, segundo o médico também é um dos sintomas e com muitas dúvidas. É possível que eu já estivesse com Hipertireodismo quando parei de menstruar?
    Se sim, como é possível os exames de tireóide terem dado normais em Fevereiro, apesar de todos os outros hormonios estarem mto altos?Se realmente estavam normais, será que o DHEA e a progesterona podem ter causado o Hipertireoidismo? O Endocrino diz que não acha possivel, mas tenho minhas dúvidas? A gravidez ficou distante agora. O médico disse que não posso engravidar agora, que seria muito arriscado tanto para mim, quanto para o bebe. Estou consciente disso, mas não tenho evitado com nenhum contraceptivo, como não estou menstruando, você acha que corro algum risco? Tenho gineco marcado para 10 de Setembro.
    Obrigada, por toda a matéria, esclareceu bastante, mas como você pode ver ainda tenho muitas dúvidas.
    Um grande beijo
    Luciana

    • Os distúrbios hormonais de tireoide PODEM causar infertilidade temporária, mas é um GRANDE risco não usar um método contraceptivo, porque existe sim a possibilidade de engravidar mesmo com alterações do ciclo menstrual.

      Há muitas controvérsias no que causa hipertireoidismo, em especial os de fundo auto-imune. E mesmo no comportamento do hiper, sua fase sub-clínica, o momento exato onde ele ‘se inicia’. se você for ler todos os relatos aqui no Blog vai encontrar inumeras histórias acompanhadas de “o médico acha que não mas…”
      Há muito mas… Essa variação entre os casos é algo que a medicina não lida muito bem, ela quer a norma, o padrão, e muitas vezes o padrão é superficial, e os detalhes é que contam, mesmo porque, acontecem em nossas vidas diárias. Minha natureza agitada e ansiosa sempre foi hiper? ou causou minha hiper? Eu já estava com hiper quando exibi tal ou qual comportamento? São perguntas que surgem o tempo todo, infelizmente não temos respostas.

      MAs tenha paciência. Nem que seja de forma medicamentosa, você irá estabilzar essa tireoide e com a troca da medicação, ser liberada para tentar engravidar. Só não tente antes disso, para não transformar a gravidez numa preocupação ao invés de uma alegria.

  22. MICHELLE diz:

    Olá gente, Eu tenho o hiper, estou querendo engravidar. Eu me tratava com tapazol, mas minha endo substiuiu pelo propil por causa da minha planejada gravidez. Fiz os exames e estou esperando o resultado pra saber se já tá tudo ok, e uma boa notícia q minha endo me deu foi que mesmo tomando o propil eu vou poder amamentar. Agora é só esperar os resultados, confiar em Deus e ter meu tão sonhado bebezinho. Adorei a matéria, beijos a todas.

  23. késia diz:

    oi adriana, td bem? tenho 19 anos e casada há 8 meses. desde o principio do casamento meu marido me pede um filho e eu venho tentando engravidar. (tentando muito mesmo) mas não consego. fiz uns exames de tireoide e eu estou com um grande hipertireoidismo, comecei a tratar faz dois meses e ate agr não consegui engravidar. minha menstruação é tão irregular q todo mes me tras a esperança de estar gravida devido a tantos atrasos menstruais. queria saber apartir de quanto tempo após o inicio do tratamento com Puran 150mg, eu consigo engravidar. e queria saber tbm se é possivel eu estar ovulando apartir do tratamento. bjs.

  24. Nyce diz:

    Ola Adriana, tenho 33 anos estava tentando engravidar a 1 ano, foi qndo minha gine. me passou o exame da tireoide e contatou que tenho Hiper, faz 5 meses q descobri q faço o tratamento a 3 com patazol, como ja tenho 33 anos tenho medo de meu tratamento demorar muito e não conseguir ter meu bb. Qnto tempo em media demora pra eu poder engravida com segurança? Desde já agradeço, bjoss

    • Nyce,
      vocÊ pode engravidar quando estiver com sua tireoide controlada, mesmo que via medicamento. Nesse caso normalmente se passa para o outro supressor tireoidiano sem ser o tapazol, que agora esqueci o nome, porque ele passa menos pela barreira placentária. Algumas pessoas demoram um bom tempo para atingir esse eutireoidismo medicamentoso, outras o atingem mais rápido. Antes disso as chances são de que você não consiga engravidar por conta das alterações hormonais. Mas converse isso com seu gineco.
      Se for para esperar o eutireoidismo real, ai depende da sua reação ao tapazol. Pode demorar.
      Se optar por iodo radioativo, normalmente se espera um ano após o tratamento

  25. a 12 anois eu to casada e neste exato momento estamos pensando em serpais li tudo e estou bem ciente. muito obrigado pelos conselhos eu tenho hipertireoidismo e so fiz o tratamento com iodo radioativo a 3 meses e graças a DEUS não precisou tomar nenhum remedio neste exto momento e estou muito feliz. quem sabe esta e uma opotunidade para ter o nosso 1 filinho por que eu sonho de todas as mulheres. tcha.. bjs e fica com DEUS.

  26. Ana Carla diz:

    Bom dia, meu nome é Ana Carla e há dois meses fui diagnosticada com Hipotireoidismo, estou fazendo o tratamento com Levoid de 38 mg. Não sinto mais nada meus sintomas desapareceram depois do início da medicação. Se eu engravidar nesses primeiros meses de tratamento existe algum risco do meu BB nascer com algum problema?

  27. Cristiane Cortes diz:

    Oi Adriana Almeida tenho 30 anos, e fui fazer uma checape e o meu tsh deu 0,019 e o t3 e t4 estão normais será que estou com Hipertireoidismo? também estou cintindo sintomas de gravidez. È possivel isso? estou perdida.

  28. Gleicy diz:

    Olá Adriana, Boa Tarde

    Estou á 03 meses tomando Tapazol/Atenolol e agora a Dra. reduziu apenas para a metade de Tapazol 10 mg dia e suspendeu o Atenolol.
    Meus exames de T4 L que antes era alto esta acusando 0,6 e meu T4 está 4,4 e t3 e tsh estão regularizados o TRAB continua alto, mas não tanto quanto era.
    Estou me sentindo muito mal, oposto do que sentia muito fraca, com uma indisposição horrível parece que meus olhos estão sempre cansados e com sono, canso ate pra conversar, o que meu coração causava de agunia de tanto pular, as vezes acho que vai parar… de tão indisposta. Não sei se isso se associa mas parece que não estou mais conseguindo sentir cheiro das coisas direito.

    O que pode estar acontecendo,
    Gostaria muito de tentar um Bebê…

    Beijos

  29. cintia diz:

    Olá!Olha fui diagnosticada com hipertireoidismo com 4 anos e minha irmã gêmea tbm minha mãe fez o tratamento até nos completarmos 13 anos e parou pq disse q não tinha mais dado alterações nos exames de sangue mais agora quero engravidar e descobri q hipertireóidismo não tem cura!Será q vou conseguir engravidar e ter uma gestação normal?

  30. vivian diz:

    olá!! tenho hipotiroidismo, estava tomando puran t4 de 75 mg, eu queria muito engravidar,então minha endocrino aumentou meu remédio para 88 mg,ou seja não me senti muito bem com essa dosagem,quando terminou a 2ª caixa comprei novamente o de 75mg por conta tomei uns 13 dias o de 75 mg e descobri que estou grávida de 3 à 4 semanas, meu tsh está 5.44,minha pergunta é será que tenho que me preocupar? minha médica já aumentou minha dose para 112mg…,me responda dor favor estou apavorada!! aguardo

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s