Dormi com os anjos

Eu dormi hoje. Talvez isso fosse assunto pro meu outro blog porque não sei se foi significativo enquanto sintoma ou falta dele, mas depois pensei que a minha maior queixa aqui é sempre essa: Eu não durmo. Não de fato. Então falo aqui sobre isso. Eu dormi hoje. E quando eu falo dormi, eu DORMI, tipo, fechar os olhos e como é que se fala mesmo? Dormir. Acho que é isso. É tanto tempo sem fazer algo assim que acho que esqueci o nome. Mas tenho quase certeza que as pessoas normais chamam isso de dormir.

Tem alguma coisa haver com uma gripe me rondando. Espirrei um monte, comecei a sentir dor no corpo e tive uma crise de nervos do tipo “se-eu-não-pular-no-pescoço-de-alguém-vou-explodir” e eu simplesmente me levantei e me tirei da cena. Eram mais ou menos 19 horas.

Achei que ia ser como sempre é. Eu ia deitar e ver TV. Em dado ponto eu ia ver que o mundo estava explodindo do lado de fora. Eu ia me levantar e dar o bote apesar de ter dito que não ia mais me meter e que eles sabiam o que era pra fazer. Eu ia provar mais uma vez minha inconstância ou, se eu conseguisse resistir bravamente e dar aos meus filhos a chance de se virarem sozinhos e cumprirem suas obrigações, ainda assim eu ia ficar na cama, vendo tv, virando de um lado pro outro, até cochilando, mas nada de dormir.

Mas a última coisa que me lembro é levantar as 21 pra tomar um paracetamol. Depois escovei os dentes. Depois deitei. Ai eu olhei pra tv e quando olhei de novo estava passando outra coisa que não era o que eu estava vendo. Olhei pro relógio e eram 23:30. Eu meio que ri e desliguei a TV. Depois ouvi um mosquito. Olhei o relógio eram 3:20. Coloquei o “trequinho-de-matar-mosquito-na-tomada” e virei pro lado. Ai o celular despertou. Eram 5:05. Eu acordei as crianças. As mochilas estavam arrumadas. O uniforme estava separado. Eu não sei se o dever estava feito, mas eu não tinha nenhum motivo aparente pra brigar. Eles foram fazendo as coisas deles e eu só cochilando e lembrando da hora, mandando um cobrir o outro pra dar tempo de tudo. A última vez que olhei o relógio eram 6:00. A maioria das coisas já estava feita. Aí pisquei os olhos e eram 6:16 e ouvi o barulho da porta se fechando.

Lembro que dei de ombros. Normalmente eu levantaria correndo pra ver se eles não esqueceram nada, mas não levantei. Virei pro lado, continuei dormindo. Umas 8:10 meu celular começou a tocar. Olhei o número: “dona-do-cartão-de-crédito-me-cobrando”. Bom, quem vai pagar é meu marido, ele não está aqui, eu não sei se ele já pagou ou se não, quando vai pagar e pensei claramente: Essa dona não vai me atrapalhar o sono por que isso não é hora de ligar pro celular dos outros cobrando. Coloquei o celular só no vibra call. Ele tocou várias vezes na minha mão eu só olhava e como era o mesmo número, continuei dormindo.

As 9:00 eu ouvi a Ângela chegando, e o Márcio, e o Caquinho (o filho deles). Pensei em levantar. Sem contar as interrupções eu estava dormindo a quase 12 horas. Lembro de ouvir eles conversando, de ouvir o Márcio varrendo lá fora, e Ângela arrumando dentro de casa, e de pensar em pelo menos avisar que eu estava viva. Mas virei pro lado: eu precisava dormir.

Levantei as 11. Meio moída da gripe, mas absurdamente descansada. Sem sono. NENHUM. Acho que é a primeira vez em um ano e meio mais ou menos que eu estou SEM SONO algum.

É tão estranho que não reconheço. Sou quase outra pessoa, só porque dormi. E dormi bem, com um sonho aqui ou alí, acordando em alguns momentos mas voltando a dormir sem demora, com uma lembrança vaga do quanto tempo dormi e de coisas que aconteceram enquanto eu dormia.

E estou olhando a paisagem pela minha porta aberta e juro que não lembro que era tão colorida e bonita. Tenho quase certeza que alguém colocou flores novas no meu quintal e que o sol não costumava ser tão claro. Ou isso ou o mundo tem outro set de cores e de brilhos quando a gente dorme direito. Interessante saber disso…

___

PS: Acabo de postar e vejo que um conhecido me indicou uma notícia sobre sono. Como não acho que nada seja coincidência de fato, repasso o link:
Você dorme o suficiente?

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Indo devagar, Personal Affairs com as etiquetas , . ligação permanente.

9 respostas a Dormi com os anjos

  1. Caríssima amiga Adriana,

    Como já comentei: belo texto. Bem descritivo sobre seu problema com o sono. Na verdadefiquei preocupado é com as noites em que você NAO CONSEGUE DORMIR! Se sua noite de reencontro com o sono foi assim tão atribulada, imagino como deve ser terrível suas noites sem sono.
    Algumas coisas são sintomáticas, diria você psicóloga, ao analisar um paciente. Efeitos se tornam causas, e causas tornam-se efeitos. Até que se perde o controle, não se sabe qual é um e qual é o outro.
    Pense em dormir, como se alimentar. Você dificilmente como qualquer tipo de comida. Normalmente e é assim que deve ser feito, como-se alimento de boa qualidade, em horas reservadas para isso, e espera-se que o alimento esteja preparado para servir ao propósito. Dormir é a mesma coisa, especialmente para pessoas que tenham problemas relacionados: horários regularis e definidos. Local de boa qualidade, PREPARADO para o sono. Silêncio adequado (desculpe, TV não é uma boa companhia). e de preferência prepare-se para dormir bem durante o dia (faça execícios físicos sem exageros, uma caminhada por exemplo).
    Uma grande noite de sono para você!

    • Você está certíssimo. Já faz é tempo que não dá pra saber se minha insônia é sintoma ou causa, o mesmo pra minha ansiedade, nervoso, etc.

      Mas algumas coisas são mais fáceis de falar do que fazer. Eu andei tentando: refeições leves a noite, banho morno, silêncio e vamos dormir. Bom, algumas horas depois, socando o travesseiro, coração disparado e em crise de ansiedade, eu voltei pro computador pra chorar minhas mazelas por aqui. Simplesmente não concilio o sono. Sei que é preciso persistência, mas tem épocas da vida e horas do dia que persistir é contra-producente. Aí embora eu saiba que mais do que bom, o sono é necessário, eu prefiro tornar as horas produtivas ao invés de sacrificantes. Porque não há nada pior que ficar na cama, no total escuro e silêncio, com a cabeça a mil e sem conseguir dormir.

      Mas se consegui ontem, quem sabe não consigo hoje de novo, né? Boa sorte pra mim, e de novo, obrigada pela visita e comentário.

  2. Joana diz:

    Oi, que bom que você conseguiu. As pessoas que não passam por isso acham que é simples assim,rs. O meu marido saiu chateado porque ele quis que eu acordasse e eu disse que não conseguia, era umas 6:40h, fui dormir acho que por volta de 0h, no sábado acho que era umas 3horas quando dormi. Se a evolução do seu problema for como o meu, você terá uns dias assim, depois pode emendar o dia inteiro como eu já disse aqui, que já passei o dia inteiro dormindo e sem forças, agora estou melhor.
    Sobre a súbita ansiedade, ela vai e volta, o seu coração parece que nem bate e aquela sensação horrivel, como se algo quisesse sair pela boca, sem ser negativa, ainda faltam os enjoos, os vomitos, dor por tras dos olhos, uma coceira irritante, a pele se cortando com o vento, e algo como se estivesse comendo o seus musculos dos braços, se você já tiver com os pés de elefantes, parabens irá passar e voltar depois, eu passei do 36 para o 37.
    Agora eu dou graças a Deus por não ter hipertensão como você tem, acho que eu pirava se minha pressão subisse.
    Incluí na lista, uma coceira e um ranran na garganta, que a Dra. disse que poderia ser uma alergia, ah falta também você tirar os anéis, isso se você usar, para que os seus dedos das mãos não torem.
    E se quiser dormir melhor, compre o tapa olho e use o colírio que o seu oftalmologista passar para lubrificar e troque os óculos para não forçar mais a vista do que você já força.
    Quanto a ansiedade você não quer os ansiolíticos, olha a linda palavra de buda: PACIÊNCIA.

  3. Joana diz:

    Não havia mais escrito para você porque eu simplesmente não conseguia completar o pensamento. Me ajuda? preciso estudar 5 livros. E não consigo usar nem as técnicas que estou acostumada a usar.

    • Já tive de tudo um pouco. Acho que por isso é que comemoro com vontade quando algo simples como conseguir dormir dá certo! O médico me disse isso no dia 1: Vão ter dias bons e dias ruins. Dias sem sintoma, dias que parece que você não está tomando remédio nenhum e dias em que parece que o remédio está fazendo efeito demais.

      Quanto ao raciocínio, o meu melhorou bastante. E meu conselho é só um: escreva. Escreva muito. O ideal seria ler e escrever muito, mas num primeiro momento ler é impossível. Aquele bando de letrinhas difíceis de enxergar e que parecem não querer dizer nada… mas hoje já consigo ler um artigo e entender de novo. Mas acho que porque exercitei meu raciocínio escrevendo, e agora, lendo.

      Deve ser chato ter algo pra ler por obrigação nesse seu, digo nosso estado. Então comece a escrever. Vá lendo e do lado fazendo um resumo com as suas palavras, até que o parágrafo faça sentido. Ai relê os dois (o parágrafo e o seu resumo) e comece de novo no parágrafo seguinte. Chato, mas talvez ajude já que há pressa em ler e não dá pra esperar o raciocínio melhorar sozinho.

      Mas insisto na história de escrever. Coloque no papel todos os seus pensamentos até eles parecerem coerentes novamente. Comigo pelo menos funcionou.

  4. mel diz:

    Parabéns Dri, uma noite de sono no seu estado so quem ja passou pra entender o significado. Espero que se repita muitos dias e ñ demore. rsrs
    A dica que vc deu para a Joana sobre leitura eu tambem aplico quando tenho de ler algo, da muito certo comigo, ou então leio varias vezes o mesmo paragrafo ate assimilar. Como dou aulas e alem de entender tenho de gravar algumas ideias e ñ posso deixalas fugir no momento da aula, anoto algumas frases para tentar recobrar a conciencia caso esqueça, e com o tempo agente vai aperfeiçoando o metodo hoje da mais certo que quando comecei.

    • Oi Mel,
      Já são 11 horas, minha filha grita que tem dor de cabeça, eu ofereço remédio ela grita que não consegue tomar essa hora, eu falo então termina logo a redação (falta uma frase) pra poder dormir e ela grita que eu a fiz perder a frase, ai eu falo que cada vez que ela grita a dor piora e começa tudo de novo. Já vi que vai ser uma longa noite, até ela dormir, e eu poder deitar, e esquecer que quis pular no pescoço dela, e conseguir dormir. Mas não se pode ter tudo. Ao menos tive uma boa noite de sono na semana. Se continuar nesse ritmo, quem sabe em algum momento isso volte a ser todo dia, né? Não os gritos da minha filha, mas o dormir a noite toda… 🙂

      E o lance de escrever, comentar, reler é isso mesmo. Acho que já falei daqui e a mente é igual a qualquer parte do nosso corpo: se a gente não exercita, atrofia. Óbvio que a tireoide fez um estrago no meu raciocínio, capacidade de compreensão, memória e tudo mais. Mas se a gente se entrega, isso piora exponencialmente. Só eu sei o quanto esse blog me fez bem: escrever aqui de forma pública, que qualquer um vá ler, me faz no mínimo rever o que escrevo, tentando fazer sentido. Cada vez isso vem mais fácil, cada vez preciso corrigir menos erros e assim por diante.
      Ler blogs dos outros também. São textos curtos. Não adiantava no começo eu pegar um livro ou um artigo grande. Eu ia me perder no meio da lógica da coisa. Ai fui aumentando a complexidade do que eu ia lendo, lendo na internet ou fora dela coisas mais complexas, e já estou quase, só quase, voltando a pegar o ritmo.
      Tem que exercitar mesmo. Não tem jeito. Ai uma hora a gente pega no tranco! 🙂

      Beijos.

  5. Ana Paula diz:

    Olá, Hiper Meninas! Encontrei esse site ao pesquisar sobre o famoso tapazol… Infelizmente descobri que tenho Doença de Graves, após um tratamento para Hipo de Hashimoto, que descobri ter em setembro de 2009. Loucura, né? Mas foi assim que aconteceu. Minha endócrino disse que é comum ocorrer o oposto, o hiper se tornar hipo, mas é incomum ocorrer o que aconteceu comigo. Enfim, estou tomando tapazol há cinco dias e me sinto péssima. Li tudo o que vcs escreveram, mas há a passagem que a Adriana comenta, sobre ter um encosto particular e é exatamente assim que estou me sentindo… Estou apreensiva 24 hrs por dia. Morro de medo de tudo. Sinto fisicamente muitas das características do hiper se manifestando como furacão… A cada dia estou mais fraca dos músculos, com uma pressão absurda nos olhos, minhas unhas fraquíssimas, meu cabelo caindo, a fome exagerada, palpitações, falta de ar, suor escessivo, irritação, ansiedade… Até que por enquanto não posso reclamar do sono, tenho dormido bem. Mas, já ganhei 3 quilos desde que parei com o synthroid, há 1 mês, e desde que comecei a tomar tapazol, há cinco dias, dito anteriormente. Sempre fui magra, mas ando com peso inconstante, oscilando entre muito magra, magra e fofinha. A ironia é que descobri tudo isso ao mudar de ginecologista, pois sempre me tratei com o antigo gineco como tendo endometriose. As características são bem parecidas em relação à menstruação, ou seja, ciclos curtos, irregulares, com muito fluxo e muita cólica. Pode até ser que eu tenha realmente a endometriose, mas faz muito mais sentido acreditar que sempre tive problemas com a tireóide e nunca descobri até setembro de 2009. A coincidência é tão incrível, e foi tão imperceptível aos olhos de vários médicos que chego a duvidar da capacidade deles. Uma outra característica que apresentei durante anos foi o colesterol alto e a prolactina alta, dados clínicos compatíveis com hipo de hashimoto. E o tratamento inicial que fiz foi só de seis meses e com a dose mínima. Rapidamente ele se transformou em hiper auto imune. Hoje tomo 3 comprimidos de tapazol no café da manhã. Receio ser daqueles casos que oscilam o tempo todo, uma hora hiper, outra hipo e dessa forma nunca chegar ao eutireoidismo… E a minha maior infelicidade é que descobri tudo isso com exames para engravidar, desejo que eu e meu marido temos há mais de 4 anos. Ele já tem um filho do seu primeiro casamento, e que mora conosco. Amo meu enteado como se fosse filho biológico, sou louca por ele. Mas, sempre sonhei em ter um bebezinho meu, saído da minha barriga, gerado em meu útero e com um homem que amasse demais, fato real atualmente. Ao mesmo tempo, tenho que agradecer por ter descoberto o hipo/hiper. Tenho que agradecer que posso me tratar, por poder reclamar dos efeitos ao invés de nunca ter esperança de cura ou de equilíbrio. Tenho sorte por meu sistema auto imune se manifestar de uma forma conhecida e com acesso ao tratamento. Imaginem se fosse outro tipo de manifestação?? Enfim, quero dizer a todas vcs que me identifico com cada relato, que sou iniciante nessa nova vida e que espero poder contribuir com informações valiosas ao combate a esse mal.

    Um hiper beijo, com muita saúde!

    Ana Paula

    • Olá Ana Paula,

      vou responder seu comentário no outro post. Aqui, só falo Bem vinda! Já que infelizmente a sua tireóide também te traiu, fico feliz que ao menos você tenha nos encontrado aqui pra trocar idéias. Em alguns dias eu me sinto ÓTIMA, em outros tenho aqui nesse blog o único espaço que eu me sinto “normal” e onde o que eu falo é entendido. Então sempre que quiser trocar idéias, desabafar, perguntar, contar , enfim, sempre que precisar, a casa é sua. 🙂

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s