Enquanto isso, no consultório…

Acho que nunca vou me acostumar com isso, com essa história de ser figurinha carimbada no álbum do consultório médico. Mesmo que as consultas se espacem, eu confesso que tenho uma certa dificuldade de me ver como alguém que tem uma condição que exige visitas regulares (não necessariamente frequentes) ao médico. “Pusta” wake up call de mortalidade!   Mas vamos lá contar como foi a consulta de hoje dessa paciente da Doença de Graves…

Pra começar eu não me atrasei. Alias, eram pouco mais de 7 da manhã e eu já estava pronta, esperando minha carona. Como Murph é meu pastor, dessa vez foi a carona que atrasou, e cheguei no posto de saúde faltando 5 pras 8. Por 5 míseros minutos eu não perdia minha vaga (ou ao menos, não teria um stress para garantí-la).

A Ângela não foi comigo. Gripada, agora ela lida com o filho com virose: foi levá-lo no PS onde o “muleque” ficou no soro. A bruxa está solta, diga-se de passagem!  Quando um melhora, o outro cai!  Mas não era a primeira vez que eu ia sozinha, e já estou bem grandinha, embora enfrentar a espera com companhia seja sempre menos desagradável.

Saí de casa sem comer nada. Burra eu! Sei lá, se a Ângela pudesse ir, talvez ela pudesse fazer minha ficha enquanto eu tirava sangue pro exame que ficou faltando… Se não, eu poderia dar uma fugida pra comprar algo pra comer. Ao menos era o que eu achava, mas não saiu bem como planejado.  Como eu peguei o penúltimo lugar do dia, se eu saísse pra tomar café, poderia perder minha vaga, e achei melhor esperar. Fazer ficha não é assim tão demorado, né? É, normalmente não é, mas poucas coisas foram normais hoje!

Toda hora chegava alguém com uma dúvida e interrompia a atendente. As fichas iam se demorando, e eu lá, babando de sono e morrendo de fome. Não costumo esperar sentada pra fazer a ficha, poder andar pra lá e pra cá diminui minha ansiedade, mas eu estava com sono, então sentei. E não demorou preu começar a cochilar: era algo fora do meu controle. Eu ficava olhando pra frente, e o olho ia ficando pesado, pesado, e pronto, acordava de susto com a cabeça pendendo prum lado ou pro outro. Espero não ter babado pelo menos! Pilha! Não babei não… mas tava quase.

A cada grupo de 2 ou 3 que faziam ficha eu lamentava: dava pra ter ido comprar alguma coisa pra comer, mas agora ficava arriscado. E bastava a demora pras próximas 2 ou 3 fichas preu pensar o mesmo. É fato que a fome desenfreada da hiper já melhorou e muito, mas eu comecei a sentir tudo de novo: primeiro fome, depois a ronqueira no estômago, aí enjoo e dor de cabeça, e por fim, dor muscular. E toca a mexer a perna pra lá e pra cá atrás de uma posição que doesse menos!

Quanto faltavam só umas 3 fichas antes da minha, a atendente faz uma pausa pro café: DELA! Morte aos desalmados! Morte! Morte! Eram umas 9:40 e eu estava FAMINTA. Mas faltavam só 3 fichas, e se o café dela fosse rápido?  Nem a culpo: o médico mal tinha começado a atender os 15 que estavam na frente das fichas não feitas, então tecnicamente não fazia diferença: mas seu soubesse que ia ter pausa pro cafézinho, eu tinha tomado o meu, né?

Obviamente ela demorou.  E obviamente as 3 fichas antes da minha também. Mas aí eu já tinha aceitado que ia andar meio mancando de dor na perna por conta da fome mesmo. #FML!

Ai era esperar ser atendida. Comparando com semana passada, foi uma eternidade a espera. Eu não estava muito na frente semana passada, e ainda assim, era um tal de entrar e mal esquentar a cadeira do consultório e já sair. Quando a minha ficha ficou pronta hoje, só tinham 5 pessoas na minha frente, em compensação, elas demoraram até não poder mais.

Como eu estava sozinha, fora uma conversa de 5 segundos com uma senhora, conversa essa que foi interrompida porque ela foi chamada a entrar, eu fiquei lá, com sono e fome, sem ter com quem conversar. Ô Têdio. Eram 11:30.

Finalmente chega a minha vez. E aí foi tudo tranquilo. Era uma consulta de retorno então foi bem rápida. Ele passou mais tempo perguntando da Ângela, que sempre vai comigo, do que de mim em si. E acho que deu nó na cabeça dele e ele confundiu algumas informações (algo que disse a 3 consultas atrás acho que ele achou que foi na última? Ou será que a Ângela quando passou lá pra mim pra marcar contou da minha dor de garganta?!). Bom, ou alguma das alternativas anteriores ou meu endócrino é tão super hiper ultra bom que está lendo mentes.

Começou olhando meu hemograma e dizendo que melhor que aquilo, só dois daquilo, e que a dor de garganta não era nada (Danh! eu já sabia Dr.! Agora como é que ele sabia da minha dor de garganta é que eu não sei!). Depois olhou os de hemossedimentação e disse que podia ser da própria garganta, ou o tal do quadro inespecífico. Acho que eles  nunca vão descobrir porque meu exame de hemossedimentação SEMPRE dá alteração!

Olhou os de fígado e já começou comemorando, aí chegou no GGT. “Bebeu uma biritinhas recentemente?” Bom dr, se água e coca-cola, e talvez chá contam… Eu não bebo gente! (Segundo a minha irmã eu já estou tão alcoólatra que acordo no meio da noite e bebo e nem me lembro. O mistério é onde arrumo a bebida e onde escondo as garrafas, já que não tem nada alcoólico em casa e nem garrafas vazias no dia seguinte, né?). Piadas a parte, como eu não bebo, ele ficou olhando pro GGT uns bons segundos. Disse que pode ser inespecífico também (médico adora esse termo!) e combinamos de repetir o exame em um mês.

Quando falei do TSH, ele disse que queria o T3 mesmo. MENTIRA! Eu mal decifro a letra dele, mas era TSH na guia. Acho que ele não quis admitir que a letra dele é um garrancho! Bom, de qualquer forma, ele escreveu algo como “atividade metabólica em equilíbrio medicamentoso”. Ok, eu ia achar mais bonitinho se ele escrevesse “eutireoidismo de mentirinha”, mas do jeito dele também serve: traduzindo -> Os remédios estão funcionando para regular minha tireóide e não há complicações visíveis no sangue de efeitos colaterais indesejáveis que justifiquem suspender o Tapazol.

Ele examinou meus olhos. Mandou fechá-los e abrí-los e seguir o dedo dele com meus olhos. Conferiu quantas injeções de cortisona eu já tinha tomado. Eu comentei que depois da cortisona o inchaço diminui mas dias depois minha pele fica um trapo, então ele anotou como sugestão para mais pra frente um outro corticóide diferente que não deve dar a mesma reação adversa. Mas disse que normalmente quando o que ele tinha passado funcionava, e até aquela altura não dava exoftalmia, as chances de dar depois eram menores, que as injeções meio que preveniam.

Por uma consulta, só uma, ele nem tocou no tal do “iodo radioativo”. Não ouvir isso por uma consulta que seja já é tão bom. Acho que até ele ficou animadinho com o resultado do tapazol.

Ele ia marcar consulta pra daqui a 3 meses. Mas aí disse que era melhor 2. Mas aí lembrou que pediu repetição do GGT em um mês, então em junho eu volto lá. Com sorte ainda melhor, com sorte sem gripe, com sorte mais calminha, com sorte com o efeito placebo do ansiolítico dentro da bolsa e não do estômago funcionando maravilhosamente bem, e com sorte, sem perder a manhã toda esperando ser atendida!

Mas as notícias são melhores que boas, né? Então, sem reclamações hoje, apesar da fome (saí do consultório quase correndo pro supermercado mais próximo e comprei um biscoito – não dava pra esperar chegar no meu pai ou meu estômago ia colar nas costas) e da espera. Pra receber notícia boa, os contratempos foram um preço baratinho! 🙂

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Cotidiano, Indo devagar, Tentando Entender com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

5 respostas a Enquanto isso, no consultório…

  1. lucia diz:

    Por que na época das suas férias, você não vai ao Rio, como vc mesma diz, visitar seus amigos e tentar ver a opinião de outro Endocrinologista. Quem sabe… o Dr. Colírio, hem?!….rrsrrs

    Sabemos que cada pessoa – portadora de qualquer doença – tem uma resposta melhor ou pior a um certo medicamento .

    Levando-se em conta que, o seu acompanhamento até agora é feito pelo SUS , haja vista a inexistência de atendimento pelo seu plano, aí onde vc mora, talvez , com o conhecimento que você tem a essa altura e, conversando com mais calma ( médico credenciado deve ter um tempinho maior) vc ficasse mais tranquila e quem sabe, até melhoraria um pouco a sua ansiedade. Seria tudo confirmado e vc teria a certeza de que o caminho é por aí mesmo! Aí , de volta à sua cidade será mais fácil esperar o tempo que for necessário par se tornar uma mulher com os hormônios tireoidianos fazendo a sua função bem direitinho! Pensa nisso, com carinho, tá?

    Não estou duvidadando do seu médico, querida…, nem poderia mas, em todas as situações, uma outra opinião, sempre traz benefícios, né?
    Grande abraço!

    • É só eu con$eguir que eu vou $im… com o mais velho por lá a grana pra viajar ficou ainda mais apertada, e ainda tem as crianças (pra levar ou deixar com alguém). Mas pretendo fazer algo assim logo que der. E se o Dr. Colírio atender pelo meu plano, a Y vai provar que é minha amiga e dividir ele comigo! 🙂 LOL

      Não é nem por falta de tempo pra me ouvir. São 20 consultas no máximo que ele atende e a maioria e olhar exame e passar remédio, então até nem é tão corrido. Se eu puxar conversa ele vai na deixa e tudo mais. É mais porque nenhum deles é dono da verdade então ouvir mais de uma opinião é sempre mais vantajoso mesmo! 🙂 E ainda teriam os exames extras que eu poderia fazer pelo plano de saúde…

  2. Joana diz:

    oi, bom dia

    Hoje vim relatar a minha experiência de uma semana sem o tapazol. Resolvi por conta própria e risco ficar um tempo sem tapazol, já estou cansada dele, o meu estomago ja nao suporta mais tomar tantos remedios, qualquer coisa que eu coma ou beba irrita e ele reclama muito, doendo e obviamente chamando o ugo. Senti tontura uns dois dias, senti o desinchaço (estou usando o sapato 37, meus pés pareciam pés de princesa de tão fininhos que eram e agora parecem os pés de um ogro) a fome continuou a mesma, o suor nas mãos aumentaram, o calor do corpo aumentou mesmo com o ar ligado sentia calor a noite, não tive insônia, mas acordava mais cedo do que antes, senti dores de cabeça, ontem senti a tireoide aumentada, mas o principal foram os olhos que não seis e foi coincidência por ter dormindo dois dias sem o tapa olho mas os meus olhos amanheciam muito vermelho e a pressão também era maior. não senti cansaço e só a fadiga me acompanhou. Continuei tomando o propanolol e a fluoxetina, as mãos tremeram e ansiedade era latente, tomava o remedio e tudo passava. Ontem eu voltei a toma acho que por insegurança e a pressão nos olhos hoje já não estou sentindo, dormi com o tapa olho também, ah esqueci do lacrimejamento que aumentou também hoje já está melhor. Não sei por quanto tempo conseguiria ficar sem o tapazol, mas sei que aquela sensação ruim de ter que tomar todos os dias como se sem eles eu não vivesse ou não tivesse um dia melhor desapareceu, sei portanto que uma semana sem ele eu vivo,rs.
    não senti irritação, nem agressividade, acho que isso é o que mais me assombra é o despertar desse “monstro” que cria tantos conflitos familiares que nós sabemos a origem e os nossos familiares também sabem mas não se sentem obrigados a compreender.
    Fiz isso porque todos os sintomas que eu estava sentindo a endo disse achar que não fosse do hiper e que poderia ter virado hipo, e só poderia me dizer depois dos exames que já fiz e voltarei na próxima segunda.
    Por fim a minha ida ao banheiro aumentou.Espero que não seja hipo. Quero me livrar desses remédios, não suporto a azia grande que eu sinto, estou evitando algumas comidas já por conta e fora ter que ficar ouvindo dos familiares que eu sou teimosa porque como isso e não tomo nada para proteger o meu estomago por conta da quantidade de remedios que tomo.

    • Joana,
      No fim das contas você tem decisão total sobre você mesma e definitivamente não é da minha conta, mas acho que você está fazendo uma bobagem…

      Tapazol é ruim? cheio de efeitos colaterais? irritante? É, concordo plenamente. Mas ele é melhor que hipertireoidismo.

      Mas se você for ficar parando/voltando/parando/voltando você estará sempre voltando se não a estaca zero, a algo perto dela…

      A droga do tapazol (literalmente falando) funciona restringindo a quantidade de hormônio produzido pela tireoide. Idealmente, em algum momento a tireóide se acostuma (e por isso o tratamento é longo) em produzir aquela quantidade X, a certa, e pode ficar sem o remédio, ao menos por um tempo (já que recaídas são possíveis, infelizmente!)… mas se você tira o remédio antes da tireóide estar “treinada”, na semana que ela ficou sem medicamento, ela produziu horrores de hormônios, e lançou aquilo na corrente sanguinea, e ai, mesmo voltando a tomar, por dias aquele hormônio ainda estará circulante…

      Essas paradas por conta e risco podem estar comprometendo o tratamento, aumentando o tempo dele, ou seja, fazendo um des-serviço ao que é o seu desejo: parar com o remédio.

      Se é tão dramático assim pra você, seria melhor pensar no iodo radioativo pra acabar de vez com isso…

      Ah, aumento da ida ao banheiro é sintoma de HIPER não de HIPO… obvio que cada um é cada um e pode até ser sintoma de nada, mas possivelmente são os hormônios circulantes que sobraram da semana sem tapazol…

  3. maria luiza florentino diz:

    Meu nome e maria luiza, convivo com HIPERTIREOIDISMO DE GRAVES há 1ano e 10 meses ;as vezes Deus que me perdoe eu digo que e mas facíl chegar pronto socorro com o virus do HIV. Parecena. que Médicos não sabem nem como começaras enfermeiras ficam achando que eu não faço tratamento e faço desde o primeiro desmaio que foi no dia 28-03-2010 desmaiei no metro da Pavuna RJ e logo fui pro UPA UNIDADE DE PRONTO ATEDIMENTO a Doutora disse que eu estava com bloqueio no coração sai de la e fui pro meu trabalho doméstca o cunhado do meu falecido patrão foi lá me examinar sabe qual foi o hipertireoidismo sem bócio .Logo ele me encaminhou para o ENDOCRINOLOGISTA uma colega dele. De lá pra cá já fiquei hospitalizada 3 vezes fui pra sala VEMELHA já perdi as contas .Quantas vezes asustei meu filhos, na 2 internaçaõ meu filho foi comigo na ambulancia da SAMU assim que eu consigo ser socorrida por causa da taquicardia que acaba me dando falta de ar .Coitado ele ficou na porta do PCR ficou apavorado .Nunca fiquei sem o remédio graças a Deus .Quando eu falo do HIV e porque os sintomas são bem parecidos ,eu levo todos os exames porque sei que vai ter alguém pra disse procura um ambulatório ai como isso me deixa irritada e fico muito constragida ai vem o choro

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s