Maratona no SUS(to)

Então… O problema de descobrir uma doença é que você se vê na situação de ter que ir em inúmeros especialistas pra poder conter os efeitos colaterais do que é seu mal primário.  E aí todo dia tem um médico diferente ou acontece como me aconteceu: todos eles marcam pro mesmo dia.

Ainda estou devendo uma ida ao oftamo. Quase tentei marcar hoje, mas a preguiça mental de me ver indo pra 3 Pontas sozinha acabou comigo antes deu ver se tinha vaga. Mas de qualquer forma, lá fui eu pra maratona Dermato + Nutricionista hoje…

Vale dizer que nem foi tão ruim quanto eu pensava que seria. Apesar de uma certa quantidade de caos, acabou que tudo deu certo no fim das contas. Eu a Ângela chegamos no SUS eram umas 11 horas. Demos sorte: um rapaz substituia a secretária e acabou nos deixando fazer a ficha pra nutricionista antes da hora. As fichas começavam as 12. Mas quando foi o momento de fazer a ficha da dermato ele já estava informado da restrição de horário e tive que esperar. Acabei esbarrando em várias ex-alunas minhas que saiam da escola e bati um longo papo com a Laurinha, que me contou das amarguras no ginásio e me fez ficar contente com a minha escolha de escola para as crianças, apesar do aperto financeiro e do esforço de mantê-los na linha…

A Ângela também ia passar no clínico, para pegar a receita do remédinho dela (depois me perguntam porque não quero tomar o ansiolítico. A outra não larga do dela nem por reza braba) e quando finalmente consegui fazer a ficha da dermato, ficamos lá esperando.

O Matheus perdeu o celular, o João desliga o dele e a Letícia esqueceu o dela em casa. Então foi uma certa crise de ansiedade a ser superada quando eu não conseguia falar com ninguém pra lembrar minha filha que A) ela tinha médico também e B) Se ela esquecesse e viesse pra casa não ia ter ninguém pra abrir a porta pra ela. Depois de várias tentativas frustradas, eu descobri que ia ter que torcer pelo melhor e esperar pra ver.

Nesse meio tempo a Nutricionista começou a atender. Como a Ângela ainda estava esperando ser chamada pelo clínico que tinha acabado de chegar, eu fui na frente. Normal.  Estou ligeiramente acima do peso, ela me deu umas dicas pra conter a ansiedade e substituir certos elementos calóricos por outros, falou pra que eu cortasse a coca zero (pausa pra rir descontroladamente. Pronto, parei de rir) e passar a tomar café da manhã, mesmo que fosse algo leve.  Sugeriu uma atividade física monitorada (academia) no lugar de sair caminhando por minha conta, por causa da taquicardia. Se eu passar mal no meio do caminho não iria ter quem me socorresse, e na academia eu podia fazer algo leve e ter alguém para monitorar os batimentos e eventuais problemas (pausa pra rir com algum controle. Esse foi rapidinho, já parei de rir). Como eu já comecei a alterar meus hábitos alimentares (muita salada!) possivelmente vou sentir alguma melhora em breve. Só preciso controlar o chocolate, o que vai ser um problema.  Em julho eu volto, e vamos ver se perdi algum peso…

Aí seria a vez da Letícia, mas ela ainda não tinha chegado. Foi só eu sair da consulta pra descobrir que a Dermato tinha chegado mais cedo e como eu não estava lá, pularam minha vez. Eu ia ser a última.

A Letícia lembrou sozinha do médico (ufa!) e chegou logo depois. A Ângela já tinha sido atendida pelo clínico e estava feliz da vida com sua receita de “lugar feliz” na mão, e foi pra Nutricionista. Perdeu mais 3 quilos, e embora tenha demorado horrores lá dentro (o que elas tanto conversam? Minha consulta foi rapidinha!) saiu literalmente mais leve.

Entrei com a Lê. Ela realmente está perto do limite máximo do sobrepeso mas a médica nos tranquilizou. Como ela é pré-adolescente e ainda não estirou, não é preciso se preocupar ou fazer dietas restritivas, porque ela irá perder peso. A preocupação é só de criar hábitos saudáveis por conta do colesterol e da diabetes, e pra que esses hábitos a acompanhem depois da estirada, pra que ela não fique gordinha.  Me deu algumas dicas pra que ela não chegue em casa da escola varada de fome e coma mais do que o necessário e cortou de vez a televisão enquanto come (o que no almoço é proibido, mas as vezes eu deixava no jantar). Pediu pra maneirar bastante nos salgadinhos industrializados e nas frituras, mas que não precisa cortar nada. Só comer pratos menores e se quiser, repetir, ao invés de um único prato imenso, como ela tem comido ultimamente.  Ela ficou muito feliz em saber que não precisa comer nenhum legume ou verdura que não goste e se comprometeu em comer bastante dos que ela já gosta e experimentar novos ou novas formas de fazer os que ela não é fã. Vamos ver se vai funcionar.

Aí fomos esperar a dermato. Nem demorou tanto quanto eu pensava que ia demorar. Eu estava xingando o mundo por ter passada de primeira pra última da fila, mas mal deu tempo da Lê adiantar um dever minúsculo pra sermos chamadas.

Ela passou um creme pro rosto da Lê que é fraquinho e devo passar dia sim, dia não. E um shampoo anti-caspa pra passar algumas poucas vezes por semana e só no couro cabeludo, lavando as pontas com shampoo normal. Deu-lhe uma bronca por molhar o cabelo e não lavar (OBA, eu já estava cansada de dar bronca sozinha!) e pronto, era minha vez.

O rosto ela confirmou minha suspeita. Rosácea mesmo. Droga. Mas eu já sabia. Ao menos agora sei o que passar, né?  E o mais importante, o que não passar: se eu estava pensando em algum creme anti-envelhecimento, posso esquecer. Eles tem ácido e eu não posso usar nada com ácido no meu rosto. Mas tudo bem, eu não tenho grana pra esses cremes mesmo! Minha mãe também tem rosácea e eu sei que apesar de não ter cura, se cuidado pode ficar quase imperceptível. E embora eu não tenha mencionado, melhorou muito só com as vitaminas: hoje por exemplo, que está absurdamente frio por aqui, em outros tempos meu rosto ia estar todo ferido, mas ele tava até “normal” só ligeiramente irritado. Então quando eu estiver passando o gel e usando protetor solar, deve melhorar ainda mais. Eu sou mesmo um ser de fé… 🙂

Falei dos cabelos e ela arregalou os olhos quando disse o quanto perdi em volume. Passou uma vitamina específica e pediu uma série de exames. T4 livre, TSH, o Hemograma completo e ferritina sérica (que eu já fui pesquisar o que é, e é uma proteína ligada ao ferro e o exame é pedido pra confirmar/ descartar um tal de Eflúvio Telógeno – lindo nome! – que é uma forma de alopecia que justificaria minha queda de cabelo acentuada). Como marcar consulta com essa dermatologista é um parto, quando estiver mais perto da data da próxima consulta, farei os exames…  Até comentei que fiz HC e TSH recentemente, mas até pra descartar a passagem do Hiper pro Hipotireoidismo por conta do medicamento, ela pediu pra que eu fizesse de novo o mais perto possível da próxima consulta.

Na saída dos médicos, fomos resolver tudo que precisávamos na cidade antes de voltar pra casa. Aproveitei pra passar na farmácia e ter uma idéia de quanto mais ou menos eu precisaria pra comprar os remédios (já que hoje eu não podia nem pensar nisso…) e quase caí pra trás:

Gel pro meu rosto: 9,00 (um potinho minúsculo)
Protetor solar especial pro meu rosto: 66,00 (embalagem pequena!)
vitamina: 17,00 (pra metade do tratamento)
Total : 92,00
Gel pro rosto da letícia: 27,00 (um potinho minúsculo)
Shampoo pra letícia (e que os demais caspentos da casa vão acabar usando então não vai durar nada): 70,00
Total: 87,00
Total geral: Simpáticos 179 contos a serem renovados quase todo mês. Podia ser pior, mas se eu somar os meus outros remédios e os exames (além dos que a Dermato passou, tenho os novos de fígado pra renovar esse mês) e meus outros gastos, me faz pensar seriamente em fazer de conta que eu não preciso de nada disso. Afinal, o que são machucados no rosto e cabelo caindo? Nada né? Bobaginha…

Bom, ao menos as consultas foram de graça e em excelente médicas (tanto a nutricionista quando a dermatologista são amadas por toda a cidade, extremamente racionais e preocupadas com seus pacientes, etc etc)…

Tudo somado, eu já estava em casa às 15:00  tendo feito tudo que eu precisava fazer, apesar de ter me preparado pra perder a tarde toda!

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Cotidiano, Tentando Entender com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

2 respostas a Maratona no SUS(to)

  1. Davide diz:

    Eu sempre fico hipocondríaco depois de ler esse seu blog… o0

    HAHA

    • Fazer o que? Eu também fico… Como assim suspeita de Eflúvio Telógeno? Isso lá é nome de doença? Se eu fosse ter outro filho acho que ia chamar ele assim. O Eflúvinho Telógeno, venha já aqui!!!!!!!!

      Mas vamos mudar de assunto. Estou indo postar no outro blog a resenha do fringe. Ai em vez de hipocondríaco você pode ficar mais nerd! 🙂

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s